Livro 54 - O Guia do Mochileiro das Galáxias


Olá pessoas! Aqui é a Vitória, devo pedir desculpas a Cássia pela longa ausência no blog, juro que esta resenha já estava à cerca de quatro meses feita, porém... Meu saudoso amigo, Victor Fernando, vulgo irmão de Cássia, me convenceu de só postar a resenha após a dele, então se passaram dias, semanas, meses, e ele não escreveu sua bendita resenha, (não por falta de cobranças de minha parte) então depois de ter passado por uma longa odisseia tentando convencer ele de escrever sua resenha, quebrei a promessa que havia feito, e aqui estou!

Mr. Adams, perdoe qualquer falha e por favor, não me faça ouvir um poema vogon.

Confesso que me surpreendi bastante com a história. Sabe quando você se faz aquela pergunta - por que eu não li esse livro antes? Foi bem assim que eu me senti. Como o livro é bem curtinho e para não correr o risco de acabar dando algum spoiler por aqui, vou fazer um resumo rápido.

Bem... O livro foi publicado pela primeira vez em 1979, na Inglaterra. Ele é uma versão mais completa de quatro episódios de um programa de rádio, é o primeiro da trilogia de cinco livros (isso mesmo, 5 livros!). A obra é um clássico da ficção científica. Trata-se de uma excelente história regada a um humor refinado e inteligente. Dizem que os físicos aproveitam mais da obra pelo conhecimento de conceitos da astrofísica, mas que nada! Nós, leigos, temos uma boa dose de diversão com este livro!


Pois bem, a história começa com Arthur Dent, um inglês, solteiro e, em minha opinião, medíocre. Arthur teria morrido junto com a destruição da Terra se não fosse por Ford Prefect, um alien que vivia na Terra, disfarçado de ator desempregado. Assim como a casa de Arthur, a Terra foi destruída para abrir caminho para uma estrada e assim como Arthur, os seres humanos foram avisados de último minuto e assim como a Terra, tudo foi completamente desnecessário (confuso, eu sei).

A partir disso, Ford e Arthur vão viajar pelo espaço, conhecer o presidente da galáxia, descobrir que os humanos não eram os seres mais inteligentes da Terra (ficando atrás dos ratos e golfinhos) e encontrar, depois de milhões de anos, a resposta para a grande “Questão da Vida, o Universo e Tudo Mais”, para depois saber que precisariam de mais milhões de anos para encontrar a pergunta certa.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é muito bom, divertido, criativo, louco (o louco precisa ser frisado… e acrescento insano, maluco, desvairado). O que mais gosto no livro é o tom de ironia e sarcasmo de Adams. Vários e vários trechos são alfinetadas políticas, culturais, religiosas e populares. Douglas Adams critica a tudo e a todos da maneira mais notável que se pode fazer: com seu humor afiado.

Lamentavelmente, Douglas Adams morreu em 2001 de um ataque do miocárdio, mas seus livros continuam sendo comprados, editados e vendidos em grande quantidade. Confesso que estava com receio de escrever essa resenha, pois não conseguiria passar a genialidade do autor aqui (ainda acho que não passei), mas eu não poderia ler o próximo livro sem recomendá-lo aqui. Então, Não Entrem Em Pânico!

Leia o primeiro capítulo do livro:




  • O livro também tem uma adaptação cinematográfica, que foi lançada em 2005



Características detalhadas
Editora: Arqueiro
Autor: Douglas Adams
I.S.B.N.: 9788599296578
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2009
Idioma : Português
Número de Paginas : 208

2 comentários: